Ergonomia

A ergonomia (ou fatores humanos, como é conhecida nos Estados Unidos da América) é a disciplina científica relacionada ao entendimento das interações entre seres humanos e outros elementos de um sistema, e também é a profissão que aplica teoria, princípios, dados e métodos para projetar a fim de otimizar o bem-estar humano e o desempenho geral de um sistema. Esta é a definição adotada pela Associação Internacional de Ergonomia (International Ergonomics Association - IEA ) em 2000. Os ergonomistas contribuem para o projeto e avaliação de tarefas, trabalhos, produtos, ambientes e sistemas, a fim de torná-los compatíveis com as necessidades, habilidades e limitações das pessoas. (IEA, 2000). A Associação Internacional de Ergonomia (IEA)divide a ergonomia em três amplos domínios: Ergonomia física, que lida com as respostas do corpo humano à carga física e psicológica. Tópicos relevantes incluem manuseio de materiais, arranjo físico de estações de trabalho, demandas do trabalho e fatores tais como repetição, vibração, força e postura estática, relacionada com desordens músculo-esqueléticas).


Ergonomia cognitiva, também conhecida engenharia psicológica, refere-se aos processos mentais, tais como percepção, atenção, cognição, controle motor e armazenamento e recuperação de memória, como eles afetam as interações entre seres humanos e outros elementos de um sistema. Tópicos relevantes incluem carga mental de trabalho, vigilância, tomada de decisão, desempenho de habilidades, erro humano, interação ser humano-computador e treinamento.


Ergonomia organizacional ou macroergonomia, relacionada com a otimização dos sistemas socio-técnicos, incluindo sua estrutura organizacional, políticas e processos. Tópicos relevantes incluem trabalho em turnos, programação de trabalho, satisfação no trabalho, teoria motivacional, supervisão, trabalho em equipe, trabalho à distância e ética.


 Qual o papel da Ergonomia para a saúde A ergonomia se preocupa com as condições gerais de trabalho, tais como, a iluminação, os ruídos e a temperatura, que geralmente são conhecidas como agentes causadores de males na área de saúde física e mental mas que o estudo procura traçar os caminhos para a correção. O seu objetivo é aumentar a eficiência humana através de dados que permitam que se tomem decisões lógicas. O custo individual é minimizado através da ergonomia que remove aspectos do trabalho, que em longo prazo, possam provocar ineficiências ou os mais variados tipos de incapacidades físicas. Nas condições em que a atividade do indivíduo envolve a operação de uma peça de equipamento, na maioria das vezes, ele passa a constituir, com este equipamento, um sistema fechado. Este visa apresentar muitas das características de auto-regulamentação (feedback). Como dentro de tal sistema é o indivíduo quem usualmente decide, torna-se necessário que ele seja incluído no estudo da eficiência do sistema. Para que a eficiência seja máxima é preciso que o sistema seja projetado como um todo com o homem completando a máquina e esta completando o homem.


 Qual é a aplicabilidade da ergonomia Todos os conhecimentos citados podem ser aplicados ao planejamento de processos e máquinas, a disposição especial dos locais de trabalho, aos métodos de trabalho, e ao controle do ambiente físico para se alcançar maior eficiência tanto dos homens como das máquinas. Para isso é necessário conhecer o sistema nervoso, o funcionamento e a capacidade do mecanismo central, a estrutura do corpo, dos ossos, das juntas, e os músculos que fornecem energia motivacional. No binômio homem-máquina, o problema não é apenas o ajustamento de um ao outro, mas sim a adaptação conjunta dos dois. A aplicação ideal da ergonomia considera o homem como parte integrante de um sistema, no qual o estágio inicial do projeto, as características do operador humano são levados em conta juntamente com os componentes mecânicos. O homem é melhor para determinados fins como na tomada de decisões e a máquina para outros como aplicação de força.


A falta da Ergonomia e suas conseqüências Uma das causas da baixa produtividade pode ser o desconforto que entre as suas várias causas está diretamente ligada à adequação do corpo frente a um determinado equipamento. A questão da iluminação, que além de poder causar danos a visão, contribui significativamente na baixa pessoal da capacidade de produção de uma pessoa, quer seja em um escritório, indústria, como até mesmo em ambientes de trabalho mais sofisticados. Além disso, os ruídos e mudanças de temperatura também influem negativamente neste processo. Com relação aos problemas de coluna, o ideal ainda é a prevenção, portanto buscar no ambiente de trabalho, a adequação de cadeiras e mesas seria o ideal para protegê-la. Mas, quando não for possível contar com um escritório melhor adequado, procure sempre sentar em cadeiras com encosto que possuem apoio lombar e em casa, fuja dos sofás muito macios. Aparentemente superconfortáveis, eles são um convite para que você se jogue no assento de qualquer jeito. Mas o que fazer? Atualmente várias empresas já buscam a melhoria da qualidade do trabalho dos empregados e já estabelecem uma série de programas como forma de incentivar a saúde do trabalhador. Nas grandes capitais e áreas mais industrializadas, o empresariado já consciente dos futuros problemas, já está investindo neste programas, como também, em estudos sobre as vantagens da ergonomia para a melhoria da produção nas empresas. Se por um lado, o uso da ergonomia possa sugerir maior gasto, por outro ela representa uma economia para a empresa e como conseqüência, a melhoria da saúde do trabalhador e da sociedade.


 Torne seu ambiente de trabalho confortável à você Quando usamos o microcomputador por diversas horas durante o dia, podemos perceber mal-estar e dores em algumas partes de nosso corpo. Estes problemas osteomusculares podem variar de pequenas dores musculares que duram poucas horas a problemas em tendões que durem por vários anos. São as chamadas doenças ocupacionais, já classificadas como Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e, mais modernamente, como Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT). As áreas do corpo que mais se ressentem são as mãos, os pulsos, os cotovelos, os ombros, as costas e o pescoço. Os sintomas podem ser sentidos quando usamos o teclado e o mouse ou, em outros momentos, quando não estamos mais utilizando o computador (especialmente à noite, quando podemos ser acordados pelo incômodo ou dor). Para minimizá-los, alguns pontos devem ser observados: 1. Ao usar o computador por várias horas seguidas, preste atenção à tensão, desconforto e dores que podem aparecer e tome medidas imediatas para eliminá-las. 2. Levante-se com freqüência, e caminhe por alguns minutos para relaxar e alongar-se. Isso deve ser feito pelo menos de hora em hora. 3. Preste atenção na sua postura durante o trabalho, procurando manter-se ereto e apoiado. 4. Ajuste sua cadeira de forma que suas costas estejam firmemente apoiadas no encosto e seu cotovelo fique na altura da superfície da mesa. Seus pés devem ficar apoiados no chão,porém se após a regulagem da cadeira você ficar com os pés suspensos utilize um apoio para os pés. O apoio dos braços também é muito importante, para evitar esforço nos cotovelos e ombros principalmente se a sua mesa não possuir espaço suficiente para apoiar seus antebraços. 5. Posicione o monitor de forma que sua borda superior esteja na altura de seus olhos e diretamente à frente de você. Se você usa óculos multifocais, abaixe o monitor levemente, para manter sua posição ereta, sem perder o foco de visão. 6. O teclado deve estar na altura de seus cotovelos, assim como o mouse. Avalie com cuidado os apoios para pulso existentes no mercado. Podem não se adaptar às suas características ergonômicas, principalmente se considerarmos que são áreas muito sensíveis de nosso corpo. 7. Se desejar, experimente outros tipos de teclado e de mouse (inclusive os chamados trackball). Há diversos modelos disponíveis, com diferentes características. 8. O estresse do trabalho também pode provocar dores semelhantes. É importante identificar as reais causas de seu desconforto.


Posições prejudiciais que devem ser evitadas


1) Curvar a coluna e levantar bruscamente;


2) Deslocar ou carregar objetos torcendo a coluna;


3) Levantar pesos mantendo-os afastados do seu corpo;


4) Levantar pesos arqueando a coluna para trás.


5) Manter-se por muito tempo em posições fixas, seja sentado ou em pé.


Regras básicas para prevenção de dores nas costas:


1) Evitar levantar e/ou apoiar objetos no chão ou acima do nível da cabeça;


 2) Recomendável mover os objetos numa faixa entre a altura dos ombros e a altura da articulação dos dedos da mão;


3) Procurar sempre nivelar os planos de onde se retiram e ou colocam os objetos numa altura de 70-90 cm do solo;


4) Caso perceba que o objeto a ser levantado do chão seja impossível de ser erguido somente por você, peça ajuda à outra pessoa;


 5) Evitar a rotação da coluna sempre que possível;


6) No transporte de objetos, evitar carregar pesos com uma única mão.


• Em qualquer trabalho ou atividade lembrar sempre de mudar de posição o mais frequentemente possível.


• evitar a posição sentada especialmente com o tronco fletido para frente num tempo maior que 30 a 40 minutos seguidos. Ao sentir dores musculares, lombares, nos membros superiores e inferiores, procure um médico, pode ser um sinal que você está trabalhando de forma incorreta. Siga os passos abaixo para criar um ambiente de trabalho fisicamente confortável . A tabela a seguir define medidas básicas de postura, que podem ser usadas como referência para avaliar sua estação de trabalho. Considere, nos valores abaixo, a altura adicional dos saltos dos sapatos. Todas as dimensões foram arredondadas e servem somente como referência básica.



Como a Ergonomia pode contribuir na prevenção de lombalgias? Atualmente a dor lombar é a principal causa de incapacidade entre a população de trabalhadores(XU YING e cols., 1997). A alta incidência desse problema nas indústrias representa enorme impacto sócio-econômico devido às influências negativas na qualidade de vida dos funcionários e aos altos custos gerados com assistência médica, dias de afastamentos e treinamentos de novos funcionários. A Ergonomia se constitui na principal forma de se evitar as lombalgias(dor na região lombar) no trabalho. Pode-se estimar sem qualquer sombra de dúvidas que a adoção de medidas ergonômicas é capaz de reduzir em pelo menos 80% a incidência de dores lombares.Baseia-se na adoção de 10 princípios básicos de características biomecânicas do ser humano, e do planejamento de postos de trabalho segundo estes 10 princípios:


 Princípio 1


Posição vertical O corpo humano deve trabalhar na vertical ou posição neutra onde encontra seu melhor ponto de equilíbrio,com baixo nível de tensão dos músculos em geral. Para que seja possível esta postura o posto de trabalho deve proporcionar: • Altura adequada das bancadas: para trabalhos pesados a bancada deve estar na altura do púbis, para trabalhos moderados a bancada deve estar na altura dos cotovelos estando os braços na vertical e para trabalhos leves deve estar à 30 cm dos olhos.e para trabalhos de escrita a bancada ou mesa na altura da linha epigástrica(parte superior do estômago) caso a mesa tenha borda arredondada ou na altura dos cotovelos, estando os braços na vertical. • Quando o trabalho envolver mais de um tipo de tarefa, analisar a tarefa de maior tempo e assim utilizar a altura da bancada adequada. • Na medida do possível dotar o posto com regulagem de altura; ou cadeira regulável ou a própria bancada ou mesa regulável. • Na dúvida entre instalar um equipamento mais alto ou mais baixo,instalá-lo mais ALTO, pois é mais fácil colocar um estrado de madeira no chão para adequar as pessoas mais baixas,evitando assim que pessoas mais altas sejam prejudicadas com flexão da coluna caso a bancada fique baixa para elas. • Para planejar posto de trabalho levar em consideração os dados antropométricos dos trabalhadores ,o ideal é ter regulagens de altura nos postos ,mas se não for possível utilizar o percentil 20 para planejar posto de trabalho para pessoas baixas; do percentil 50 para pessoas medianas e percentil 95 para planejar postos de trabalho para pessoas altas.


Princípio 2


Boa situação mesa-cadeira Quando a condição de trabalho sentado não está correta pode haver a ocorrência de lombalgias e dorsalgias,portanto é importante conhecer como posicionar-se corretamente durante as atividades.Manter o tronco apoiado ajuda a aliviar a tensão muscular ; durante a escrita manter a inclinação anterior do assento permitindo assim que utilize corretamente o assento e não posicionar-se na extremidade do mesmo; o ângulo tronco-coxas a 100 graus proporciona maior descanso para a coluna ; utilizar cadeira com rodízios a fim de evitar torcer o corpo e sim girar a cadeira ; assento e encosto macio evitando assim a compressão do ísquio; quando possível inclinar a superfície de trabalho evitando assim a inclinação do pescoço para frente motivo este de grandes queixas por exemplo: durante a leitura prolongada,o uso do notebook, monitor de vídeo muito baixo é uma situação comum que provoca desconforto e leva ao mal posicionamento.


Princípio 3


Auxílio mecânico Diminuição do peso dos objetos deve ser uma prioridade constante em qualquer trabalho de ergonomia.Utilizar carrinhos com elevação manual lenta ,atualmente já existem no Brasil dezenas de alternativas de equipamentos mecânicos que fazem o esforço de levantar e transportar, poupando o ser humano desta sobrecarga. A adequação de cada um à realidade da empresa pode ser vista em catálogos, ou em feiras específicas de movimentação de cargas. Utilização de talhas pantográficas com correntes permite ao trabalhador elevar cargas pesadas com pouco esforço pois a corrente é ligada a uma catraca desmultiplicadora de força, adequada para movimentação de cargas em áreas localizadas devido seu giro de 360 graus


Princípio 4


Eliminar esforço estático 1. Eliminar tronco encurvado corrigindo com altura adequada de bancada; 2. Sustentação de cargas pesadas através principalmente de suportes e correntes; 3. Evitar apertar pedais estando de pé se a freqüência deste esforço for maior que 3 vezes por minuto, colocar o trabalhador sentado ou colocar a tarefa para ser feita através de botoneiras manuais; 4. Evitar braços acima do nível dos ombros;através de estudos específicos que permitem obter este resultado; 5. Eliminar o manuseio ,movimentação e carregamento de cargas muito pesadas;racionalizando os esforços e colocando auxílio mecânicos específicos; 6. Instituir a flexibilidade postural, pois é através desta que se consegue um bom revezamento dos esforços, sem sobrecarga.


Princípio 5


Melhorar a alavanca do movimento Aumentar o braço de potência e diminuir o braço de resistência ,esta melhoria ergonômica é com relação a ferramenta. 1. Melhoria de projeto de ferramentas manuais;motosserras, cortadeiras, etc... 2. Aumento do cabo de ferramentas, especialmente quando envolver esforço de distorcer uma porca; 3. Substituir o levantar por puxar; melhor ainda é empurrar.


Princípio 6


Os instrumentos de controle devem estar dentro da área de alcance das mãos Trata-se de um dos princípios mais importantes em ergonomia ;todos os objetos, ferramentas e controles a serem pegos /operados freqüentemente devem estar dentro da área de alcance normal(definido como os semicírculos formados quando os braços estão na vertical e os antebraços na horizontal) todos os objetos, ferramentas e controles a serem pegos/operados ocasionalmente devem estar dentro da área de alcance máximo(esta é definida como os semicírculos formados pelo giro dos membros superiores estando os braços estendidos ao nível do ombro. Qualquer situação que fuja deste padrão trará sérios problemas para o trabalhador, seja para a coluna, seja principalmente para os membros superiores.


Princípio 7


Evitar torcer e fletir o tronco ao mesmo tempo Para evitar esforços deste tipo, além da orientação ao trabalhador, deve-se intervir nas condições de trabalho como eliminar obstáculos às cargas que tenham que ser manuseadas; reposicionar locais de armazenamento; peças pesadas devem ser colocadas sobre caixas rasas, e estas sobre bancada.


 Princípio 8


Criar facilidades mecânicas no trabalho Para evitar esforços desnecessários utilizar: carrinhos; talhas com corrente e sistema desmultiplicador de força; gancho com corrente; talhas mecânicas; talhas com ventosas ou com prendedores laterais e dispositivos auxiliares para transportar tambores.


Princípio 9


Utilizar o princípio PEPLOSP para manusear peças PEPLOSP quer dizer: P- perto do corpo E- elevada na altura de 75 cm do piso P-pequena distância vertical entre a origem e o destino L- leves O- ocasionalmente S- simetricamente, sem ângulo de rotação do tronco P- pega adequada para as mãos


Princípio 10


Usar análises biomecânicas para avaliar o risco das tarefas Duas formas de análises são muito úteis como modelo biomecânico bidimensional da Universidade de Michigan e o critério de NIOSH para avaliar o risco do levantamento manual de cargas . A aplicação destes princípios visa prevenir os riscos de lombalgias nas empresas em até 80%,porém deve ser levado em consideração outros fatores como seleção médica criteriosa,que costuma reduzir a incidência das lombalgias em até 30%; ensino de técnicas de manuseio de carregamento de cargas, capaz de reduzir a incidência de lombalgias em até 20 %(COUTO, 1995).Portanto medidas de ergonomia são de alta eficácia na prevenção de lombalgias.A Ergonomia é a ciência do conforto, e é através dela que procuramos assegurar uma boa adaptabilidade entre o homem e seu trabalho, seus equipamentos, seu ambiente físico, suas ferramentas e muitos fatores que cercam seu sistema de trabalho. Referência bibliográfica : COUTO,H.C.,1995, Ergonomia Aplicada ao Trabalho.Editora Ergo,vol.I,p.231-239.


© 2008 Digitador Soluções Ergonômicas